Su & Je

As aventuras de uma família de imigrantes vivendo no Canadá

Archive for 15 de maio de 2010

Tirando os primeiros documentos

Posted by Jeison em 15 de maio de 2010

Nós demoramos um pouco antes de começarmos a ir tirar os documentos, sei que tem gente que já chega aqui e no dia seguinte já fez tudo, eu inclusive pensei em fazer isso, mas a primeira semana se foi, e só quase 10 dias depois começamos a nos mexer…

A primeira coisa que providenciamos foi a tradução de nossas carteiras de habilitação brasileira, isso é necessário para apresentar no SAAQ para podermos pegar a carteira de habilitação canadense sem precisar passar um ano com a provisória. Para tanto, descobrimos que o consulado é o local mais barato que faz esse tipo de tradução, CAD$ 21.00 por carteira, mas ao chegarmos lá, descobrimos que eles não aceitam pagamento em dinheiro, cheque pessoal ou cartão, só cheque administrativo ou money order, e como tem uma agencia do correio no mesmo quarteirão, fomos nós lá fazer a tal da money order, ficou em 42 dolares, mais 5,50 de taxas, total $47,50 as duas carteiras. Levamos o papelzinho do correio dizendo que pagamos, e entregamos nossas habilitações e passaportes, e o atendente foi tirar as cópias. Abre parênteses, que delicia poder ser atendido em português, tinha até esquecido como isso é bom !!!, fecha parênteses. Nesse meio tempo, encontramos um amigo da época da école, que estava lá aguardando para pegar a carteira traduzida, o Anderson, estava bem diferente com as roupas de frio, quase não nos reconhecemos… kkkk Mas foi muito bom ver um rosto familiar… Enquanto eu conversava com ele no balcão do consulado, a Su acabou fazendo amizade com uma nihon-jin (descendente de japonês) do paraná, Paula Matumoto, mas esse encontro das duas vai render um post só sobre isso…  hehehe, aguardem o próximo capítulo… Atendente nos devolve os passaportes e habilitação, e daqui uma semana, voilá, nossas traduções estarão prontas.

Segundo documento que tiramos foi o cartão da assurance maladie ou carte du soleil como eles dizem aqui, pois a carteirinha tem um sol desenhado…
Foi tudo bem simples, chegamos e nos apresentamos na recepção, depois esperamos cerca de dois minutos até nos chamarem, precisamos dos passaportes, os originais do comprovante de residência permanente (aquele papel que grampeiam em seu passaporte quando faz o landing em Toronto), e um comprovante de endereço, que no nosso caso, usamos uma fatura da FIDO que já havia sido enviada para nós por correio, é aceito também o Bail (contrato de aluguel), ou uma carta do responsável pelo imóvel, no caso de não estar no seu nome. Fora os documentos apresentados, só precisamos responder perguntas básicas e assinar os formulários que a atendente preencheu. Não foi muito rápido, mas deu tudo certo, depois só precisamos tirar as fotos para colocar nas carteirinhas, lá mesmo, menos $8 doletas pra cada um, menos a Rebecca, pois menores de 14 anos não precisam de foto na carteirinha. Pronto, missão cumprida !!! Agora é só esperar a carteirinha chegar. Ah, detalhe, que eu estava em dúvida. Sabiamos que há uma carência de 90 dias ou 3 mêses para termos a cobertura do sistema de saúde daqui, mas não sabíamos se contaria da data que chegamos (25/04) ou da data que estávamos solicitando os documentos (07/05), e no final não é nenhuma das duas datas, o que importa é o mês de chegada.  No nosso caso, chegamos em Abril, então, a carência é Abril, Maio e Junho, e apartir do dia 1° de Julho estamos cobertos, ou seja, pelo fato de chegarmos quase no final do mês, ganhamos esses 25 dias da carência…  Huhu !!! Na verdade nossa carência será um pouco mais de 2 meses apenas e nossas carteirinhas devem chegar em casa na primeira quinzena de Julho em casa.

O terceiro documento foi o NAS, bem simples também, bastou os passaportes e comprovante de endereço, e em algumas semanas a carteirinha deve chegar aqui, mas o nosso numero já pegamos na hora. E no nosso caso, como residentes permanentes,  o numero é definitivo e será o mesmo por toda nossa existência no Canadá. Esse numero muitos dizem que é como o CPF, mas na verdade é o numero do seguro social, o qual devemos memorizar e jamais andar com ele para todos os lados, pois segundo o próprio agente do governo, se uma pessoa mal intencionada, de posse deste numero, seu nome e seu endereço pode facilmente abrir contas em seu nome, fazer empréstimos, financiamentos, e só te dar inumeras contas pra pagar e muita dor de cabeça, por isso acho que não é o nosso CPF, é bem mais perigoso que o CPF. Até agora só usamos no formulário do governo para pedir ajuda do governo para a Rebecca enquanto ocorre a francisação, e eles tem até um manualzinho que diz em quais situações podemos dar este numero e quando não devemos dar o numero. Pelo jeito a coisa é séria mesmo.

Bom, é tudo, por ultimo passamos pelo MICC, mas sai de lá decepcionado, pois é só uma reunião, que recebemos um monte de papeis, endereços e telefones e intruções do tipo: Se precisar de tal coisa, ligue nesse numero, se for essa outra coisa, vá nesse outro endereço, e assim vai… Não nos encaminharam pra nada, nem nos inscreveram em curso nenhum, nem analisaram curriculum nem nada, só falaram, no seu bairro tem uma organização tal XYZ que podem te ajudar. Saimos de lá cheio de papeis e com a impressão de “nada à acrescentar”… Bem diferente dos relatos de reunião do MICC que ouvimos dos amigos…

Abraços a todos !!!

Até breve…

Posted in Canadá, Utilidades | Etiquetado: , , | 9 Comments »