Su & Je

As aventuras de uma família de imigrantes vivendo no Canadá

Posts Tagged ‘Emprego’

Fim do inverno com boas notícias

Posted by Jeison em 21 de março de 2011

Ola gente !!!

Acho que o blog ficou meio congelado com todo o frio que fez por aqui nos ultimos meses !! hahahahaha

Muita coisa aconteceu, nesse tempo todo… Entre elas:

  • Eu aprendi a andar de SnowBoard, e quase quebrei o polegar…
  • A Susana ta indo super bem na francisação, deve terminar o modulo 3 agora em Julho com louvor !!!
  • Teve meu aniversário agora em fevereiro, e fizemos um churrasco de varanda em pleno inverno de -12 C
  • Terminei meu estágio na prefeitura e fui finalmente efetivado
  • Descobrimos que viver aqui no frio não é tão difícil como imaginávamos que seria
O inverno está nos dando adeus, e a primavera está aparecendo. A temperatura ainda oscila muito, mas ainda está frio, mas logo logo não teremos mais neve para olharmos pela janela, até final de Abril a temperatura mínima ficará positiva, e a neve virará água, dando lugar a grama soterrada e dando vida as arvores e flores.
Abçs
Anúncios

Posted in Canadá, Pessoal | Etiquetado: , , , , | 1 Comment »

1° Dia de trabalho

Posted by Jeison em 4 de outubro de 2010

Bom,

Hoje foi meu primeiro dia de emprego aqui, não efetivamente o primeiro, mas o primeiro como analista de sistemas, que é o que eu sou, mas não efetivamente como analista também, afinal, estarei fazendo um estágio por seis meses, para só depois talvez ser contratado em definitivo.

Para quem não sabia, faz mais de um mês que tenho trabalhado na cozinha de um restaurante na pré-preparação de alimentos que vão para os cozinheiros, é um restaurante grande com três filiais e tem bastante coisa pra se fazer lá, e é bem divertido além de dar uma renda para ajudar a se manter por aqui.

Mas hoje comecei a trabalhar para a prefeitura aqui da cidade do Québec, a principio era para ser como analista, participei de processo seletivo durante dois meses, e na hora H, a mulher do RH disse que só poderiam me contratar como estagiário, pois meu francês ainda não estava tão bom assim, e que se eu fosse bem durante os seis primeiros meses, a vaga seria minha com o salário integral. Aceitei, melhor que nada e já dá pra praticar o francês, e já ganho uma bela duma experiência no mercado de trabalho, o que me facilitará de conseguir um outro emprego caso eles não me contratarem.

Como todo primeiro dia, foi totalmente bizarro (* ver nota) o dia. Cheguei lá um pouco antes da 8:30, horário previsto para começar a trabalhar e a pessoa que deveria me receber não estava. Fui recebido por um senhor bem simpático, se apresentou e foi me mostrando as salas, as pessoas, e quem era quem, atividade que até hoje eu não entendo bem porque existe, afinal, quem é que consegue decorar o nome de umas 20 pessoas em menos de meia hora, e ainda decorar seus cargos e imaginar tudo isso dentro de um organograma que você tenta montar em sua mente ??? Resumindo, conheci muita gente que eu não sei o nome mais e nem o que fazem !!!

Depois disso, ele me apresentou a minha sala, onde eu já tinha um computador, já tinha um ramal, já tinha usuário, senha, email, tudo configurado e funcionando perfeitamente, eu fiquei besta, é a primeira vez que me acontece isso… Normalmente fica-se uns 2 dias sem computador, depois mais uns 2 sem login, e pra instalarem tudo, leva-se mais de uma semana. Hoje até me senti importante !!! kkkk Pra não dizer que estava tudo perfeito, o computador não estava com o Visual Studio instalado (programa que uso no desenvolvimento de softwares), mas logo após o almoço, tudo resolvido…

A coisa que mais estranhei, foi ter que utilizar teclado em francês, é completamente diferente, muito bizarro*, não tem muitos acentos, e o de lá não dá nem para configurar em modo inglês, aqui no note, pelo menos o teclado é bilingue. Outra coisa que estranhei muito foi o Visual Studio em francês, poxa, pelo menos esse software poderia sem em inglês né ?? Mas, enfim…

Após meu almoço que foi muffin de blueberry + maçã, afinal, não sabia como seria o almoço, fiquei meio sem saber o que levar, mas tem dois microondas e geladeira, então dá pra levar comida normal, só tenho que comprar um tupperware marmita… Bom, após o almoço, tive uma reunião de umas duas horas, reunião de equipe para discutir os projetos em andamento, cara, eu já estava sentindo frio na minha sala, mas suportável, e sono, passei a manhã toda lendo arquivos do tipo padrões de programação usados, etc… Na sala de reunião o ar estava tão gelado que comecei até a perder os sentidos nas mãos, e o assunto que os caras estavam falando já não diziam mais respeito ao projeto que estou alocado, ou seja, assunto chato em francês, com piadinhas em francês, o diretor lá, acho que é do interior do Québec, que sotaquezinho difícil de entender, parece um pato falando francês, o pessoal eu entendo uns 80% do que é dito, mas desse diretor, acho que só uns 40%, agora imaginem uma sala com uns seis québecas falando rápido e cada um com um sotaque diferente e fazendo piadinhas e trocadilhos, com um frio de lascar e morrendo de sono, meu nível de compreensão da conversa estava na casa dos 30%, só consegui pescar o assunto e pouca coisa que estava rolando, mas os detalhes, ahahaha, zero %….

Depois da reunião comecei a ver um pouco mais do que será o meu projeto, ainda não consegui formar uma idéia do que será, mas pelo que eu senti das expressões faciais (caretas) que as pessoas faziam quando era anunciado o que eu faria, imagino que a bucha será grande !!!

Amanhã o dia parece que será mais animado, pelo menos acho que vou começar realmente a trabalhar, ou pelo menos a planejar o trabalho. O problema é que o meu coordenador, que está me explicando o que devo fazer está super ocupado, e não tem muito tempo para se dedicar a mim, então o quanto antes eu ganhar um pouco de autonomia, melhor pra todo mundo…

Bom, é isso, adorei o local, as pessoas, todo mundo muito simpático e prestativo, espero que continue assim !!!

Abçs

* Todo primeiro dia é bizarro, mesmo no Brasil, essa coisa de fazer tour pela empresa, ser apresentado, não fazer a mínima idéia de quem é quem, é tudo muito estranho, ficamos totalmente deslocados e sem jeito…

Posted in Canadá | Etiquetado: , , | 25 Comments »

Resumo – 3 meses em Ville de Québec

Posted by Jeison em 30 de setembro de 2010

Isso mesmo, amanhã completaremos 3 meses que saímos de Montréal e nos mudamos para a cidade do Québec, que para quem não sabe, é a capital da província de mesmo nome, Québec.

Québec é a capital, mas para os padrões brasileiros ainda é uma cidade pequena, com cerca de 470 Km² e sua população na casa dos 500.000 habitantes, tem uma densidade de quase uma pessoa por Km². Se somarmos as cidades vizinhas, teremos uma população na área metropolitana de Québec chegando a 715.500 pelo senso de 2006. Aqui, no padrão deles já é uma cidade média-grande. Não achei informações mais atuais, mas não deve estar muito longe disto, se alguém tiver novos dados, por favor me mande o link.

A nossa impressão daqui, é de uma cidade pequena sim, mas bem aconchegante, muito segura, muito bonita, bem turística, mas as coisas demoram a acontecer, principalmente para quem veio da velocidade de São Paulo. Mas tem alguns problemas sim, aqui não tem um sistema de transporte público eficiente, ok, tem ônibus, mas se você mora de um lado da cidade e quer ir trabalhar do outro lado, com os ônibus você gastará quase duas horas pra fazer isso, mesmo pegando as linhas expressas, coisa que de carro você faz em menos de meia hora. Outro problema de infra-estrutura que vimos aqui, e que existe em Montréal também, são as pontes que entram e saem da cidade, Montréal por ser uma ilha, e aqui por ser a beira rio, existe muita gente que trabalha ou mora do outro lado do rio, e nos horários de pico, cria-se um verdadeiro congestionamento por causa que afunila todo mundo na ponte, que nos faz lembrar muito nossa cidade brasileira. E nós que não precisamos pegar a ponte, acabamos prejudicados pelo transito também. O bom aqui, é que o congestionamento é só nos horários de pico mesmo, uma hora mais tarde já está tudo livre e flui perfeitamente, não é como SP que até a meia noite ainda tem engarrafamento na Marginal !!! Há alguns projetos em votação para melhorar isso, entre eles um trem de superfície que formará um U saindo de Lévis, passando o rio, passando, cortando Québec, passando o rio novamente e terminando em St. Romuald, e com isso, espera-se diminuir muito a quantidade de carros cruzando a ponte no vai-vem do trabalho. Vamos ver se esse projeto sai do papel !
Um outro ponto de déficit, mas isso acho que é no Canadá todo, são as creches, é praticamente impossível encontrar uma creche subsidiada pelo governo com vagas abertas. Pra falar a verdade, está difícil até de arrumar vagas em creches particulares, e isso tem sido um problema muito grave para nós, que não queremos deixar nossa pequena numa dessas que eles dizem “em meio familiar”, que na verdade é uma familia normalmente de imigrantes também, que a esposa fica em casa e cuida de até 6 crianças, mas estas não tem um programa educativo nem nada do gênero, as crianças ficam só brincando, assistindo TV ou dormindo. Nos buscamos um lugar com cara de escolinha mesmo, onde ela possa evoluir, aprender mesmo que seja só o se comunicar em francês, mas está difícil isso, e se ela não estiver na creche, a Susana fica impedida de trabalhar, estudar ou qualquer outra coisa, pois fica presa em casa, o que é muito ruim pra nós…

Bom, agora que conhecem Québec, vamos falar de outras coisas…

Muitos perguntam ainda o motivo que nos levou a sair de Montréal e vir pra cá, bom, é bem complexo ou simples isso, e não quero influenciar a ninguém a seguir os meus passos, alias, esse foi o motivo que me levou a parar o blog por esses três últimos meses, não queria ninguém me seguindo, mesmo porque eu não sabia para onde estava indo… Mas o motivo pelo qual trocamos de cidade começou com nosso contrato de aluguel, assim que chegamos, pegamos um contrato de 3 meses que um amigo nos passou, ótimo apartamento, preço muito bom, bem localizado, perfeito para nós !!! Nós não sabíamos ao certo onde moraríamos após esses 3 meses, estávamos conhecendo a cidade ainda, e quando decidimos que poderíamos ficar lá por mais 1 ano, já era tarde demais, o apartamento já estava alugado para outra pessoa, só nos restou procurar outro apartamento, rodamos muito a cidade, muito mesmo, e não encontramos nada no mesmo padrão e preço, somente fora da ilha, mas ai tinha o problema da ponte, transito, etc… Não tínhamos saído de SP para enfrentar os mesmos problemas de novo, não ia pegar 1 hora de congestionamento na ponte pra ir pro trabalho. Paralelamente a este problema, não estava sendo tão fácil assim conseguir emprego quanto eu tinha em mente, as poucas entrevistas que fiz não deram frutos, sempre esbarrava no idioma que eu não dominava, e tinha que dominar os dois. E nossos amigos aqui de Québec estavam nos chamando, dizendo que aqui as coisas seriam mais fáceis. Nosso tempo de decisão estava se esgotando, não podíamos mais esperar pra nos decidir o que fazer, em um mês tínhamos que sair do apartamento, foi quando conseguimos um apartamento para alugar aqui em Québec, no mesmo prédio de nossos amigos, pronto, não dava mais pra pensar nem voltar atrás, novo contrato assinado, mudança planejada, tudo reservado, caminhão, etc etc etc… Foi isso que nos levou a mudar de Montréal pra cá, e por isso que não queria ninguém me seguindo, não foi algo totalmente “pensado”, simplesmente aconteceu assim… Hoje, olhando pra trás vejo que se eu tivesse ficado em Montréal, teria conseguido sim emprego e já estaria trabalhando, hoje vejo que não cheguei aqui na melhor época para conseguir emprego como havia imaginando quando ainda estava no Brasil, o boom das contratações acontece mesmo agora, entre Agosto e Setembro, e não, acho que a melhor época pra chegar seria em Junho/Julho, daria tempo de ver toda a documentação, procurar uma casa, e depois trabalhar, mas ai, vem outro problema, a época boa pra conseguir um bom imóvel é em Março/Abril, que sinuca hein ???

Voltando ao resumo, chegando aqui, passamos 1 mês em um apartamento temporário até podermos nos mudarmos para o apartamento definitivo no dia primeiro de Agosto, estamos morando em um apartamento um pouco menor do que tínhamos em Montréal, sentimos falta de espaço, mas tem suas vantagens, ficou mais organizado e mais fácil de limpar, mas ano que vem, queremos um dois quartos novamente. Nesse primeiro mês, transferimos todos nossos documentos para cá, pedimos a transferência da francisação para cá, assistimos todas as palestras do departamento de imigração, e aproveitamos muuuuuuuuito o festival de verão que rolou por aqui.
Agosto foi um mês crítico, nossas reservas financeiras acabaram, esperávamos o curso de francês que não chegou, e comecei a trabalhar na cozinha de um restaurante aos finais de semana pra começar a tentar equilibrar o dinheiro que saia com um pouco que entrava. Passamos um mês bem complicado, a bolsa e o curso de francês não saíram e as contas ainda estavam no negativo. Ai vem fulano e diz: Mas vocês não se planejaram, não previram o quanto iam gastar de dinheiro ?? Bom, é claro que me planejei, mas é complicado, não tinha planejado mudar de cidade, nem comprar um carro, mas foram necessidades que apareceram e fomos colocando o pescoço na forca sem perceber, na esperança de sermos logo chamados para o curso de francês e um pouco de dinheiro começar a entrar…
Em Setembro comecei a ir todos os dias para o restaurante, afinal não recebemos nenhuma boa notícia do governo no que diz respeito ao curso de francês, e dessa forma consegui respirar melhor e começar a acertar nossas contas. Outra boa notícia mas nem tanto assim, é que fui chamado para trabalhar na minha área para a prefeitura da cidade, fui aprovado num processo seletivo que começou em Junho, e o resultado saiu agora, em Setembro, mas não vou trabalhar como analista como eu queria, e sim num estágio em analise de sistemas, o salário não é muito bom, mas é um começo, é minha primeira experiência na área e tenho certeza que isso me abrirá muitas portas no futuro.
Agora em Outubro, começo o meu estágio, e a Susana fará um curso de francês gratuito, mas sem bolsa, pois a do governo ainda não chegou. Estamos conversando e provavelmente ela fará durante o inverno um curso de francês na faculdade de letras da universidade Laval, que fica aqui perto de casa, o bom, é que com esse curso podemos pedir uma bolsa que pode chegar a oitocentos dolares por mês, e dessa forma podemos unir o útil ao agradável.

Posted in Canadá | Etiquetado: , , | 16 Comments »

Mises à jour

Posted by Jeison em 6 de junho de 2010

Para não passar a semana em branco:

* Francisação

Fizemos a nossa entrevista de nivelação para a francisação nesta sexta-feira, os métodos aplicados para avaliar à mim e para Susana foram bem diferentes, o que me leva a crer que não há uma regra para isso, mas o importante, é que hoje recebemos um aviso eletrônico que fomos aceitos para a francisação em tempo completo e com bolsa para pelo governo, assim que aparecer uma vaga seremos incritos e convocados, o que deve acontecer quando abrirem as novas turmas de outono no início de agosto. Só nos resta esperar. Outra boa notícia é que perguntei para o rapaz do MICC como proceder caso de irmos pra Québec, e segundo ele, o procedimento é fácil, basta comunicar o MICC e pedir a transferência, não há qualquer problema nisto.

* Permis de Conduire
Essa sexta-feira também, recebi a carteira que me permite fazer o teste prático para obter a permissão de conduzir um veículo de passeio, como já foi dito em outros lugares, esse povo gosta de gastar dinheiro a toa, é um cartão tipo de crédito com foto e tudo mais, pra que tudo isso pra utilizar apenas uma única vez ??? Bom, voilà, eis o cartão.

* HSBC
Chegou também nossos cartões de crédito canadenses, com limite de menos de um terço do que imaginei que chegaria, mas chegou.
Ok, e dai, porque isso é importante. Aqui existe uma coisa chamada score credit/histórico de crédito, neste mundo nada se cria, tudo se copia, e o Alexei usa esse sistema de tradução instantânea no blog dele, e eu acho o máximo e vou começar a implantar por aqui também !!!
Voltando ao histórico de crédito, você precisará dele pra tudo, alugar apartamento, comprar coisas mais caras, solicitar cartão de crédito, financiar, etc… É uma caixa preta a regra que eles usam pra criar este histórico, mas basicamente é assim, a cada conta paga em dia, ele cresce, e a cada inadimplência ele despenca, a cada consulta também se perde alguns pontos, por isso as empresas normalmente perguntam se podem consultar ou não, mas eu não entendo porque perguntar, pois se você disser não, a “transação” que você quer também será negada, donc…
A parte boa dessa notícia, é que só o cartão de crédito conta no score, pagar contas com o cartão de débito não dá ponto nenhum, então só agora estamos começando a montar nosso histórico de crédito para daqui uns dois anos podermos comprar nossa casa. Diferentemento do cartão brasileiro, este não faz nenhuma menção à ser PREMIER ou não, mas acho que são, espero… E tem esse sistema pay pass, que funciona como um bilhete único pro pessoal de SP, você só aproxima o cartão da leitora na hora de pagar e a transação acontece totalmente touch less/sem contato, só por aproximação mesmo…  bem legal

* Dia-a-dia

Bom, ainda estamos indecisos quanto a ir pra Québec, mas a questão de que lá estaremos perto dos amigos, que o pouco inglês que temos pode ser um diferencial e não uma obrigação na hora de conseguir um emprego, e que estaremos num ambiente 100% francofono e não bilingue como é Montréal, me incentivam a querer ir pra lá, passar ao menos um ano, ficar fera mesmo no francês e depois decidir o que quero, me dedicar mais ao inglês, etc, etc, etc.

Bom, é isso…  Fizemos também uma visitinha a Ottawa, mas isso é pro próximo post, abraços a todos e até breve…

Posted in Canadá | Etiquetado: , , , , , , | 2 Comments »

5@7

Posted by Jeison em 6 de maio de 2010

Não deu pau no teclado não…  5@7 é o termo usado aqui para dizer happy hour, das 5pm às 7pm…

Hoje fizemos duas coisas importantes, a primeira delas, foi ir pela manhã lá do outro lado da cidade nos inscrevermos na Mission Bon Accueil nos inscrevermos para a ajuda familiar. Já li diversas pessoas que foram benificiadas por esta missão, o mais recente foi o Jeferson no post “Cesta Básica”.

Essa missão tem diversas frentes de atuação, mas nos inscrevemos basicamente para participarmos da distribuição de alimentos, que ocorre duas vezes por semana, mas podemos ir apenas a cada 15 dias. Estamos mendigando aqui ? Não, mas se existe uma missão de apoio ao imigrante, porque gastarmos 300 dolares no mercado, se podemos ter exatamente os mesmos alimentos de graça ? A única diferença, é que o prazo de validade está para vencer nos próximos dias, mas e dai ? Nesse momento que estamos sem trabalho, se não tomarmos cuidado, o dinheiro vai embora mesmo !!
Amanhã vamos lá retirar alimentos, e depois eu posto fotos do que pegamos e como funciona direitinho… Terá também venda de roupas com preços bem baratos.
No Canadá existem diversas missões como essa, algumas grátis, outras você paga 1 dolar…|
Na volta, pegamos o que posso chamar de chuva 360°, pois tinha hora que vinha de trás, pela frente, de cima pra baixo, até de baixo pra cima choveu !!!
Explico: A chuva até que não era tanta assim, mas o vento que vem junto, tá doido !!! Muito forte, eu tinha que segurar o guarda-chuva pelas pontas, senão ele virava do avesso…  Será que é sempre assim ou demos logo de cara com o raro nas duas chuvas que pegamos aqui ?? Era impossível não se molhar, até nossa segunda saída programada do dia eu cancelei depois dessa…

Mas agora voltando ao título do post, participei de uma 5@7 organizada pelo AQIII (que é a Associação Québequence de Informáticas e Informáticos Independentes)e que aconteceu dentro do Philips Lounge na região central.

Foi tudo muito organizado e diferente de tudo que eu já tinha visto. Logo que você entra, você cola uma bolinha colorida na sua roupa, Amarela para dizer que não é membro, Verde para membros e Vermelha para recrutadores das empresas. Eu peguei a amarela, e na mesma mesa, você deixa um cartão de visita seu numa urna.

Passando isso, tem um bando de gente em pé, tomando cerveja, alguns comes e conversando e tudo  muito  descontraido, há música também. Mas ai você começa a reparar, e a maioria, é bolinha amarela abordando os bolinhas vermelhas e conversando sobre o que sabe fazer e trocando cartões de visita, como uma mini entrevista instantânea… Encontrei com o amigo Alcides lá, que foi quem me convidou, ele me apresentou uma headhunter responsável pelo primeiro emprego dele aqui na ilha, conversamos um pouco, trocamos cartões e fiquei de mandar meu CV para ela amanhã. Assim foi com mais alguns, ou era apresentado ou me apresentava e trocava cartão… Umas 6 e pouco, um dos membros falou sobre o calendário previsto, outras coisas que eu não entendi, e fez um sorteio de 4 entradas para um congresso que não entendi do que era também.

Esse encontro parece que ocorre a cada primeira quinta-feira de cada mês, e achei muito bacana, que além de praticar o francês na sua área você começa a conhecer mais pessoas e montar seu networking, amanhã tenho alguns CV’s pra mandar e vamos ver o que vai dar !

é isso ai, abraços a todos…

Posted in Canadá | Etiquetado: , , | 11 Comments »