Su & Je

As aventuras de uma família de imigrantes vivendo no Canadá

Posts Tagged ‘Imigrar’

Rebecca na escolinha

Posted by Jeison em 12 de novembro de 2010

Bom, completou-se duas semanas que nossa filha está indo numa «garderie» (a escolinha ou creche daqui), e alguns que estão próximos sabem outros não, mas foi uma quinzena bem difícil para nos três.

Já fazia um bom tempo que procurávamos uma garderie para a Rebecca, por N motivos, entre eles para ela realmente começar a aprender o francês e se socializar, para liberar a Susana para poder estudar, trabalhar e fazer outras coisas… Mas aqui, conseguir vaga em garderie é algo impossível, ok, há vagas em meio familiar, mas isso é uma loteria e não quero colocar nossa filha nisso nem a pau…

Meio familiar, é uma familia que para poder ter uma renda extra, já que a esposa não trabalha, pega um dos cômodos da casa e transforma em um local para eles cuidarem das crianças, parece que por lei cada adulto pode cuidar de no máximo 6 crianças. Algumas dessas até prosperam um pouco e contratam funcionários para poder ter mais crianças. Mas já escutei falar muito mal de algumas (muitas) e bem de outras (poucas), então preferi não arriscar com a Rebecca, ficamos mesmo procurando as garderies subsidiadas pelo governo, onde você para somente $7.00 por dia, isso mesmo $140.00 dolares por mês, de graça mesmo não tem !!! Ou garderie privadas, onde o custo varia normalmente a partir de $25.00 por dia. Mas mesmo nas privadas, perto de casa não achamos nada, nada mesmo, todas lotadas, quando fiquei sabendo de uma nova garderie que abriria numa cidade vizinha aqui* (nota no rodapé), e fomos la conhecer, a garderie estava em obras, era uma casa de três andares usada como escola de dança e academia, que estava toda em reforma ainda, a Susana não botou muita fé que estaria pronta até dia 01/11, essa visita fizemos em 30/09, faltavam apenas 30 dias e não tinha nem piso direito, mas eu acreditei na lábia de um dos donos, jovem, com alargadores na orelha, mas que falava muito bem, um vendedor nato ! Prometeu mil coisas, desde aula de circo, karate, passando por muro de escalada e introdução musical, bom, estamos falando de crianças de 2 a 5 anos de idade, achei tudo muito ótimo, não tínhamos nem um quinto disto no Brasil, vamos pagar pra ver… E pagar caro, essa nos sai a $37.00 por dia !!! Nem façam as contas para nao tomar susto !! Mas a Rebecca e a Susana não podiam mais ficar em casa. Em teoria, vamos receber uma parte desse valor, parece que até um teto de $25.00, então teoricamente, pagamos $12.00 por dia para nossa filha ir pra escola. Digo em teoria, pois ainda não sei como isso tudo funciona direito, ainda não vimos a cor de nenhum reembolso, estamos pagando 100% ainda. Parece que existem duas formas de reembolso, como a Susana foi finalmente chamada para fazer a francisação (outra novela pra contar depois) ela tem direito a esse reembolso, pois como ninguém pode ficar em casa com a Rebecca, além da bolsa de estudos eles vão acrescentar esse valor no cheque dela, mas ainda falta eu conseguir no trabalho um atestado que eu realmente trabalho, eu entreguei um modelo para o meu coordenador, que passou para o diretor, que passou pro RH, que nem sei mas onde esta. Parece que por ser um órgão publico não é qualquer um que pode assinar um documento como este. Feito isso, temos que devolver tudo isso no Cégep (escola da Susana – Collège d’enseignement général et professionnel (http://www.cegep-ste-foy.qc.ca)) que eles mesmo se encarregam de fazer este reembolso chegar.

Parece que existe um outro reembolso, que na verdade é uma espécie de restituição adiantada do imposto de renda, onde também vem uma parte desse dinheiro, mas pelo que entendi, é um ou outro, preciso conversar com amigos que estão a mais tempo aqui e que passaram por alguma situacao parecida.

Bom, esquecendo as contas, vamos falar da escolinha mesmo, dia 31/10 fomos la com a Rebecca, pois eles marcaram uma acolhida e apresentação dos professores de cada turma, ficamos bem impressionados com o prédio pronto, a escola ficou linda, tudo funcionando e melhor do que eu imaginei quando o Dan (um dos donos) apresentou a “idéia” da escola para nos. Estava cheio de gente, a Rebecca brincou, mas ainda bem tímida com as outras crianças, até ficou um hora inteira só com a professora enquanto os pais acompanhavam umas explicações do dono da escola. Pensei que ia ser moleza então. Nos dois primeiros dias, até foi, ela estava super empolgada com a idéia de ir pra escolinha, voltou bem contente, animada, etc… Mas ja no terceiro dia, não queria mais ir, chorava, não entendia porque não podia ficar em casa, teve que ficar nos braços da professora porque não me deixava ir embora. Na quinta (4° dia) foi o pior dia pra mim, ela começou a chorar e implorar para não ir desde o momento que acordou, foi de casa até a garderie chorando e reclamando, lá nem deixou eu troca-la direito, pois ela sabia que esses eram os passos antes de eu ir embora, tirar sapato, etc… A professora teve que segura-la com força pra eu poder sair, a Rebecca estava roxa de tanto gritar e chorar pra eu não deixa-la la. Entrei no carro e desabei, não consegui sair de la, fiquei chorando mesmo uns 15 minutos, liguei pra Susana, e só depois disso que pude ir trabalhar, digo, ir pro trabalho, porque trabalhar direito mesmo, eu não pude naquele dia. Quando peguei ela, ela chorou muito ao me ver, disse que eu demorei, etc… Fui com ela no shopping, e comprei um pequeno Lego pra ela, pra idade dela, chegou em casa, brincamos bastante, ela adorou. Conversamos bastante com ela, todos os dias, para ter certeza que a escolinha é tão boa quanto aparenta, e ela diz que são todos pacientes com ela, que a professora é boazinha, os amiguinhos, todo mundo é bonzinho com ela, perguntamos se ela come a comida, etc… Acredito que essa é a fase da adaptação, ela acabou de passar seis meses com o pai e a mãe grudados 24 horas por dia com ela, e de repente, ela passa a maior parte do dia dela com estranhos, que não falam a língua dela, e que ela não entende o que eles estão dizendo. Deve estar sendo horrível pra ela. Na sexta-feira (5° dia), ela até sonhou com a escolinha, porque antes dela acordar, já escutei ela resmungando falando que nao quer ir na escola, sonhando… Com isso ja comecei a ficar mal denovo, acordamos e no carro, eu prometi a ela que se ela ficasse boazinha eu compraria um Lego bem grande pra ela. Na escola, na hora de troca-la ela tava chorando, nao queria ficar, mas eu reforcei a promessa e ela engolia o choro, pensando no brinquedo. Entrou sozinha na sala, chorando, entrou e sentou num canto, nem foi nos brinquedos… Fui embora, sabendo que teria que cumprir a promessa, e assim foi feito, a Susana chegou em casa e quebrou o pau comigo, que eu nao deveria ter feito isso, que alem de gastar dinheiro, estava acostumando ela mal… Eu sei, sou de acordo também, mas o que eu poderia fazer, eu tinha passado dois dias horriveis também. E a Su por tabela também. O final de semana passamos todos bem proximos e aproveitamos bastante. Conversamos mais com ela, sobre a escolinha, explicamos que todas as crianças tem que ir na escolinha, até pedimos para o Ricardinho (amiguinho dela, filho de um casal amigo e vizinhos nosso, entre nos adultos até brincamos que é o namoradinho dela de tanto que os dois se gostam) que é um ano mais velho que ela para explicar pra ela que ele também ter que ir na escolinha e que ele gosta… Bom, a segunda e a terça foi meio complicado, nem tanto quanto na semana passada, mas ela ficou mais conformada eu diria. Ela chora agora só quando vou busca-la, ela diz que eu demorei muito, ve se pode !!!! Pior que pro nosso azar, esse final de semana mudou o horário aqui, entramos no horário de inverno, e com isso começa a escurecer as 16:30 e as 17:00 já esta bem escuro, e a Rebecca não vai entender isso tao assim cedo, na cabeça dela, eu tenho ido buscar ela a noite !!! Ela chora de perder a fala e quando recupera só diz: Porque demorou tanto ? Já esta de noite !!!!  Porque ??  E pior que o mais cedo que eu consigo sair do trabalho é umas 15:30, mas para isso, teria que entrar as 07:30 da manha, mas esse é o horário que temos saido de casa, então só chego na garderie entre 16:00, 16:30, quando já esta começando a escurecer, vai explicar pra uma criança que 4 da tarde não é noite, sendo que ela olha pro céu e vê noite !!!  ai ai ai…

Ontem aconteceu algo muuuuuuuuuuuito legal, eu fiquei chocado. Temos uma vizinha que é meio tan tan (lélé da cuca mesmo), mas boazinha, mala, mas tem bom coração. Bom, ela apareceu em casa, e eu abri a porta, ela tava com uma boneca na mão, e disse que tinha um cadeau (presente) para a Rebecca, e eu chamei a Rebecca, e ela começou a falar com a Rebecca, eu não sei porque, afinal de contas, ela sabia que a Rebecca não fala nada de francês, mas eu deixei ela falar, é meio doida, mas se isso faz bem pra ela, que mal tem… (tudo isso na porta de casa) Mas não é que teve uma hora que ela disse para a Rebecca lavar a mão para não sujar a boneca (tudo em francês, eu nem sei como dizer isso, eu entendi mas não sei reproduzir), e na mesma hora que ela disse isso, a Rebecca saiu correndo, foi no banheiro, lavou a mão e voltou !!!  Eu fiquei chocado !!! Eu perguntei pra Rebecca se ela tinha entendido o que a senhora falou, afinal de contas, é uma pessoa diferente, tem um sotaque diferente e forte, mesmo que a professora use essa frase na escolinha (lavar as mãos), a professora fala devagar, com calma, e faz parte da rotina da Rebecca, que ela nem se acostumou ainda, mas ela sabe as horas que tem que lavas as mãos na escolinha, mas em casa, a Rebecca nao estava esperando essa frase, e a ela também não é de obedecer assim tão instantaneamente, ainda mais se ela queria pegar a boneca, mas ela obedeceu e disse que entendeu sim o que ela falou !!! WOW !!!

Esses dias ela chegou pra mim e disse: E cachorro, como é que é ?? É chien !  Depois de me recuperar do susto, disse: muito bem, é chien sim, parabéns !!!

Nos brincamos assim com ela: Como é “tal coisa” em francês ? E ela responde: Como que é ?, é XXXXX !!  Quando ela não sabe, ela fica quieta. Mas o vocabulário dela era limitado a  água, copo, copo d’água, xixi, cocô e vermelho. Esses dias já percebi que posso acrescentar a essa lista Cavalo e Cachorro. E já vi que tem coisas que ela não consegue responder, mas que ela entende o que é. Muito loco essa evolução toda… E isso que só fazem 8 dias com hoje que ela vai para a escola… Tô meio besta ainda…

Bom, é isso, vou finalizar por aqui esse post, estou muito contente em ver que era (é) uma fase de adaptação dela, a cada dia que passa ela esta melhor, mais adaptada, converso com a professora dela quase todo dia, e ela sempre (depois daqueles dias iniciais terríveis) me dá bom feedback, dizendo que ela já interage mais, já conversa pequenas coisas em francês, ou em português mesmo com os amiguinhos, esta cada dia mais participativa., muito bom… Logo logo ela estará dando aulas para a gente.

Abraços a todos, até a próxima

* Quebec é composta por diversas cidades que se fundiram em 2006. A Rebecca estuda em Sainte-Emille, mas aqui é tudo bem perto (para quem veio de SP), e fica apenas a 10 minutos do meu trabalho que é em Quebec no bairro de Charlesbourg. Ao todo, entre sair de casa, deixar a Susana no Cégep, ir até Ste-Emille deixar a Rebecca, entrar na escolinha pra ajudar ela a tirar a bota e as roupas mais pesadas de frio e colocar o calçado e “interior” (tenis) pendurar mochila e entrar na sala dela, depois ir pro trabalho, tudo isso da cerca de 1 hora exata.  O google maps calculou 36 minutos num percurso de 25,2 kms, mas sem as paradas. Até que não é nada assim tão absurdo, pensando que eu levava quase isso em SP, detalhe: de moto, num percurso de 12,5 kms (menos da metade!!). Eu estou achando tudo isso bem tranquilo por enquanto, quando a neve chegar aqui de verdade eu conto se ainda tah tranquilo.

 

Anúncios

Posted in Canadá, Pessoal | Etiquetado: , , , , , , | 18 Comments »

Montréal ou Québec, eis a questão

Posted by Jeison em 31 de maio de 2010

Pois é pessoal, estamos neste dilema, e não sabemos bem o que fazer, ainda não consegui fechar aluguel e nem temos emprego em Montréal, o que é bom se decidirmos ir pra Ville, pois não temos nada que nos prenda a nenhuma cidade.

Mas estamos nessa duvida gigantesca, pois não temos muitos parâmetros das duas cidades pra poder colocar na balança, nossos amigos mais antigos, estão em Ville, mas em contrapartida, já conhecemos muita gente e fizemos amigos bacanas em Montréal, e outros que ainda faltaram oportunidade de conhecer.

Eu queria usar o fator emprego pra decidir isso, onde arrumasse primeiro, seria, mas não dará tempo pois estamos muito atrasados pra fecharmos um aluguel de um ano, e meio que temos que decidir se focamos nossos esforços em alugar algo em Montréal ou em Ville, já vimos muitas casas em Montréal, hoje, vamos ver algumas em Ville, aproveitar que já estamos por aqui mesmo. Esse dia da mudança é uma coisa muito doida !!!

Mas decisão chata essa a se tomar viu !!! ficar, ou ir ???

Bom, é isso, depois aviso o que ficou decidido, ou não…  kkkk

Posted in Canadá, Jeison, Pessoal, Susana | Etiquetado: , , , , | 24 Comments »

Ma première entrevue d’emploi

Posted by Jeison em 5 de maio de 2010

Pois é, não leram errado não, hoje aconteceu a minha primeira experiência em uma entrevista de emprego por estes lados…

Tudo começou ainda no Brasil, quando uma pessoa da empresa ABACUS Resources Humaines mandou uma mensagem no grupo do yahoo “Canada Immigration Brazil” solicitando que pessoas que estavam prestes a chegar em Montréal entrassem em contato com ele. Bom, assim eu fiz, depois ele solicitou meu C.V. e disse para informa-lo assim que eu chegasse por aqui. Na semana passada eu mandei um e-mail com meus telefones daqui, e para minha surpresa, ontem o telefone tocou e um rapaz falando em inglês procurava pelo Mr Jeison. Oh !!!  That’s me !!! No decorrer da conversa, ele perguntou se eu gostaria de passar por uma pré entrevista com ele afim de me avaliar e falarmos um pouco sobre meus planos de carreira aqui. Aceitei, é claro, e perguntei qual seria o melhor dia para ele, e ficou marcado de eu ir ao escritório dele hoje por volta das 9:30, ai teve uma outra pergunta, que não me lembro exatamente qual agora, mas que ao invés de eu responder “Yes”, eu disse “Oui”, foi quando ele solta em francês, você fala francês !!! Então vamos falar em francês, e assim foi o resto da conversa…

Hoje acordei mais cedo, passei uma camisa social, e lá fui eu para o escritório dele, que fica na Place D’Armes, aqui no que eu chamo de centro. Ele ocupa uma sala em um andar do prédio, que tem uma secretária que é compartilhada com outros escritórios no mesmo andar. Bem prático para escritórios pequenos.

A conversa foi bem tranquila, é um rapaz novo até, me recebeu em inglês, mas logo perguntou em qual idioma eu preferia me comunicar e eu optei pelo francês, apesar de ter mais vocabulário em inglês, o francês está mais “fresco” na minha cabeça. Na sala dele, me deu as boas vindas à Montréal, e perguntou sobre minha experiência nas empresas anteriores, perguntou porque eu sai das ultimas empresas, disse que meu curriculum estava em um bom formato, mas mesmo assim me sugeriu umas duas alterações. Disse para eu nem pensar em trabalhar com outra coisa fora da minha área, pois eu não precisaria, que minha experiência é suficiente para trabalhar como desenvolvedor pleno, e em pouco tempo passar para senior ou fazer apenas analises. Falou também que meu francês é bom, e que eu devo continuar estudando inglês, pois o mercado de trabalho precisa muito de profissionais que falem os dois idiomas, aqui tem muito profissional que fala inglês ou francês, mas é mais raro os bilingues. Perguntou também se eu já estava disponível para começar a participar de processos de seleção, mas eu disse que seria melhor apenas no próximo mês, pois ainda estou correndo atrás de muitas coisas, documentos, aluguel, etc…  Mas ele disse que iria me mandar algumas vagas para eu analisar.

Perguntei como a empresa dele trabalhava, pois sei que existem empresas de recolocação que cobram um valor ou percentual do salário do candidato. Mas a Abacus é uma empresa de RH, onde a empresa que busca o profissional que paga pelo serviço dele, eu não tenho que pagar nada e nem me comprometer com nada. Muito bom pra mim !!! hehehe…

Perguntei também como anda o mercado, e ele disse que minha área de atuação está bem aquecida. Eu tinha ideia de vir para cá e começar com um salário de 35 mil por ano, mas ele me disse pra esquecer isso, que eu devo ter como mínimo algo em torno de 45 a 55 por ano.

Imaginem como sai de lá, todo empolgado, hehehe…

Agora mais do que nunca, como tudo indica que em breve começarei a trabalhar, eu tenho que correr atrás do resto dos documentos, procurar garderie pra pequena e um apê pra alugar, além de curtir a cidade e descobrir coisas legais pra fazer, pois estamos ficando muito em casa !!

Bom, é isso…

Agora vou atualizar meu CV mandar pra ele e curtir o resto da tarde, que está linda aqui.

Abraços a todos.

Posted in Canadá, Jeison | Etiquetado: , , , , | 29 Comments »

La neige et le soleil

Posted by Jeison em 3 de maio de 2010

Segunda-feira

Nosso segundo dia aqui, foi bem curto também. Basicamente passamos a segunda-feira dando uma “geral” no apê e nas nossas coisas. Passamos aspirador, desfizemos algumas malas, fomos ver as coisas que estavam contempladas em nosso “pacote” moradia.
Como comentei no post anterior, acordamos tarde, efeito da viagem ainda eu acho, nem tínhamos visto a noite ainda, e acabamos almoçando tarde também, mas lá pelas 15 resolvemos ir no HSBC, que fica na próximo a McGill, como estávamos sem internet, fomos meio na sorte, andamos até a estação Cadillac (5 minutos), o tempo estava agradável, uns 16 graus, mas ventando bastante, lá fomos ver como obter o cartão opus, que pra galera de SP é uma espécie de bilhete único, falei em francês com o cara da bilheteria e meio aos trancos conseguimos comprar dois cartões com 10 viagens cada, deu uns vinte e pouco dolares cada cartão. Tem uma outra opção de recarga, que fica bem mais barato, que é o mensal, mas como já era dia 26 não valeria a pena comprar. Entramos no metro, meio perdidos em relação à que lado deveríamos entrar, mas logo nos achamos e fomos para a plataforma. Já tinham me falado, mas eu tinha esquecido, os trens do metrô daqui além das rodas e trilhos de aço, tem um sistema de pneus de borracha também, acho que é para diminuir a vibração, estranhamos o barulho que é bem diferente do de SP, e também o trem é bem mais estreito, não tem corredor, acho que eles contam que todos conseguirão sentar.  Mas mesmo assim, nunca pegamos o metrô cheio, e já pegamos em diferentes horários. Fiz um videozinho, mas a qualidade está péssima.

Pneus de borracha

Metrô de Montréal

Nessas fotos achadas no google dá pra ter uma noção melhor, já que minha pobre câmera não ajudou muito…  hehehe

Interior do vagão

Nessa outra foto, dá pra se ver melhor como o trem é bem mais estreito… O espaço entre um banco duplo e outro, só dá pra passar mesmo, não dá pra ficar parado no corredor… E nem tem no teto onde segurar, pra ficar em pé a única opção é  uma barra que fica perto da porta ou surfando mesmo…  hehehe…

Bom, a estação McGill era nesta mesma linha onde estavamos, não precisamos fazer baldeação nenhuma, descemos e saimos andando sem rumo, mas logo visualizamos o logotipo do HSBC, que fica bem perto da estação. Estávamos preocupados em encontrar o banco fechado, mas ainda estava aberto, aqui fica até as 16:30. Falei com o pessoal do balcão de informações e ele me encaminhou pra fila geral, não precisaria falar com nenhum gerente. O caixa me recebeu muito bem, cadastramos nossos PINs (senhas) dos cartões de débito e recebemos formulários para a solicitação do cartão de crédito HSBC Premier, tudo em inglês, na saída já tirei um saldo no ATM (caixa eletronico – Automatic Teller Machine ou ABM – Automatic Banking Machine) só pra testar se estava tudo OK, e estava, ainda bem.  Fomos pedir informação prum segurança do prédio que estávamos, para saber onde ficava o tal de Eaton centre, e aqui achei engraçado, pois eu não penso muito em que idioma vou utilizar, se a pessoa já me recebe com um “Hi”, a conversa vai toda em inglês, se me recebem com um “Bom jour” ai vai tudo em francês, não sei explicar, mas a “chave” que troca o idioma tá funcionando melhor aqui do que no Brasil. Esse segurança me recebeu com bon jour e perguntei pra ele onde ficava o Eaton centre, mas ele não entendeu nada do que eu tava perguntando em francês, ai disse que era um shopping, ai ele disse, ah, o Eaton centre, mas com um sotaque todo inglês, e me deu as coordenadas todas em inglês…  Acho que o problema foio meu sotaque na hora de falar o nome do shopping, é difícil saber como se pronunciar estes nomes próprios, mas foi fácil chegar, e fomos primeiro na Videotron fechar nosso pacote de internet, tv e telefone, agora tudo em francês, e depois fomos na FIDO fechar dois chips de celular, eles não tinham um pacote familiar, onde eu possa falar com a Susana de graça e vice versa, e fechei um plano sem fidelidade, pois fatalmente iremos trocar de operadora, precisamos dessa faciliadade de um poder falar com o outro. Mas isso é mais pra frente, quando me desinibir totalmente no idioma… Tinha ficado muito tarde pra qualquer outra coisa, como comprar o computador, pois já estava tudo fechado. Passavam das oito da noite e voltamos pra casa, contentes e cansados, novamente, metrô vazio…

Terça-feira

Na terça quando acordamos, o tempo estava estranho, parecia estar chovendo, mas estava em câmera lenta, coloquei meus óculos, e não acreditava, era neve ? Que ? O que eu estava pensando, estamos em Abril, quase em Maio !!! Como é possível ?? Mas foi, dormimos com 16 graus e acordamos com zero…

Neve acumulada

Neve acumulada

O pior é que não estamos preparados pra temperaturas assim ainda, isso foi totalmente bizarro, e tínhamos que sair de casa, pois a comida tinha acabado, não tínhamos internet ou tv pra saber o quanto de tempo aquela situação se manteria, e colocamos duas calças, blusas e lá vamos nós 3 na neve, só a Rebecca que tinha gorro, a gente foi do jeito que deu… É bonito, legal pra caramba, mas o vento era de doer, a temperatura era positiva ainda, 0.64 graus celcius, mas com o vento a sensação térmica foi pra menos bolinhas… Foram os 5 quarteirões mais longos de minha vida !!! Voltamos voando e não saimos mais… Demorou pra acumular neve, pois tinha feito 16 no dia anterior, então, o chão e as casas estavam quentes, e a neve caia e já derretia. Começou a acumular primeiro nos carros, fios, etc, que perdem calor mais facilmente.

Fomos dormir e ainda estava nevando.

Quarta-feira

A quarta amanheceu fria, mas sem neve, depois do desjejum saímos para comprar o computador, nos agasalhamos bem e fomos enfrentar o tempo frio, sem saber ainda o que viria pela frente. Foi bem mais interessante, logo na porta de casa pudemos saber porque é tão perigoso quando neva e começa a esquentar um pouco, a água do que vai descongelando transforma a neve que ficou por baixo em gelo, o que fica bem mais escorregadio, tivemos que ir andando com extremo cuidado pra não levar um escorregão. A sensação de andar na neve foi demais !!! Mas logo que chegamos ao centro de Montréal já não tinha mais neve no chão. 😦
Compramos o computador mais simples, só pra acesso a internet mesmo pra mandar curriculums e achar as coisas… Na volta, descobrimos um pedaço da “cidade subterrânea” da qual o Eaton centre faz parte e inclusive é interligado com a estação McGill…  Andamos bastante por baixo da terra, pra conhecer um pouco, mas ainda não tenho a real idéia da dimensão dessa cidade, que na verdade é um complexo de vários shoppings e prédios interligados. Passamos o resto da tarde no Eaton centre, que tem uma área na praça de alimentação com acesso a internet wireless gratuita, já aproveitamos para estrear o note e começar a ler nossos e-mails.

Quinta-feira

Na quinta de manhã, já percebemos que o tempo estava melhorando, e saímos pela manhã para ir no Metro Plus, que é uma rede de supermercados equivalente ao Pão de Açucar, meio caro, mas com bons produtos, não temos muitas opções, pois ainda não conhecemos os “buracos” da cidade e nem tempos carro pra ficar rodando, e esse dá pra ir a pé daqui de casa… Depois fizemos um almocinho e ficamos em casa esperando o cara da Videotron instalar a internet, o que tomou o resto da tarde. A noite, advinhem !!!  Internet e TV!!!  kkkkk

Sexta-feira

Bom, a sexta não tem muito o que contar…  Resumo: Internet e TV !!!  Aff, muita coisa pra colocar em dia…

Sábado

Terminal de Longueil

No sábado,  fomos dar uma volta pelo bairro, ver os parques, andar pelas ruas, encontramos um parquinho free pra Bekinha brincar, tava tendo jogo de campeonato de  baseball (não faço nem idéia de que tipo de campeonato era…).
No final da tarde fomos testar nossos dotes para pegar um transporte coletivo… Fomos numa festa, da esposa do Alcides, que nos buscou no aeroporto, e tivemos que pegar o metrô, fazer baldeação, pegar a linha amarela, descer em Longueil, que é colado aqui em Montréal, e lá pegar um ônibus no terminal, que mais parecia o aeroporto, com portões, asas A,B,C, etc… Fomos para pegar o ônibus 20, que deveria sair as 16:10, mas descobri que eles não são tão britânicos assim…  o ônibus deixou o terminal as 16:05, quem chegou em cima da hora deve ter ficado muito puto da vida !!! Foi tudo muito tranquilo, e não tenho do que reclamar do transporte ainda… Conhecemos vários outros casais de brasileiros de dois até vinte anos de Canadá, com muitas dicas e histórias. Aqui é como no japão, ao visitar alguém, leva-se um presentinho (levamos um vinho), de deixa-se o sapato na porta, fica-se de meia dentro da casa da pessoa que está visitando… Na volta, um destes casais nos deu carona, muito bem vinda, mas já sabemos que não podemos ficar pegando carona assim, pois se um policial para o carro, teremos que pagar multa pela falta da cadeirinha infantil no carro… Não é o motorista que paga, e sim o passageiro que comete a infração.

Domingo

Frente do estádio olímpico

Domingo amanheceu encoberto, mas foi por pouco tempo… Decidimos dar uma de turistas e ir no Jardim Botânico (fotos no picasa), foi muito bacana, e fez um calorão que até a Susana que é acostumada a trabalhar no sol achou demais, deu até dor de cabeça, nela e em mim… Mas valeu muito a pena, passamos a manhã toda e parte da tarde. A parte exterior dos jardins era de graça, talvez por estar em baixa temporada, e então aproveitamos…  Mas talvez pelo mesmo motivo, as fontes, e alguns jardins, como o japonês, estavam fechados, e também achamos que tinham muita pouca plantas e flores…  mas as tulipas eram lindas, tinham todas as cores e tamanhos…  Queremos voltar lá na alta pra ver como é !
O jardim é em frente ao estádio olímpico e biodômo, muito bonitos e imponentes !!!

Com isso completamos nossa primeira semana de Canadá !!!  Iuhuuuuu !!!!

Hoje, segunda-feira, tirei o dia da preguiça, não saímos de casa pra nada… Minto, sai só pra por o lixo na rua…  kkkk…  Mas esvaziamos as ultimas malas, e fizemos uma rearrumação nas roupas e armários… Também liguei lá no setor de imigração do MICC pra marcarmos nosso rendez vous d’accueil, que ficou pro dia 12/05 às 13:00, com um pouco de enrosco no francês, mas acho que anotei tudo direito…  hehehe..

É isso… Bom resto de segunda pra todos vocês !!!

Em breve mais notícias…  Estou procurando saber agora como tirar a carteira de habilitação, já me deram a dica pra marcar a prova prática em Longueil, que reprova menos que aqui em Montréal, se alguém tiver o livrinho da teórica, estamos precisando…

Abraços et à bientôt…

Posted in Canadá, Jeison, Pessoal | Etiquetado: , , , , , | 21 Comments »

Nous arrivons

Posted by Jeison em 30 de abril de 2010

Bom pessoal,

Imagino que todos estão ansiosos por notícias, mas antes, quero agradecer a todos que nos deixaram mensagem em nosso blog, no nosso orkut, por e-mail, enfim, recebemos muitas mensagens de carinho, nos desejando felicidades, e várias dicas. Nós estamos desde a saída do Brasil com acesso limitado à internet, por isso não pudemos responder todos, e mesmo agora com acesso pleno à internet, não conseguiremos responder individualmente como costumo fazer, afinal, são muitas mensagens. Ainda estamos nos arrumando e há muito à fazer, mas gostaria de agradecer de uma forma geral a todos vocês, nos deixaram muito felizes mesmo !!!   Merci beaucoup…

Hoje já completa 5 dias em Motréal, e as vezes ainda não acredito que estou aqui. Em 5 dias aconteceu muita coisa, e vai ficar complicado resumir em um único post tudo que se passou nos detalhes, então, vou dar só um overview e depois coloco alguns posts com mais detalhes.

Aeroporto internacional Ezeiza em Buenos Aires

Vou falar um pouco hoje sobre o nosso voo.

Bem, como sabem, passamos 4 dias em Buenos Aires, ficamos no hotel Ibis perto do congresso, muito bom, recomendo aos que forem pra lá. Saímos de Buenos Aires no sábado passado (24/04), embarcando no voo Air Canadá 093 com uma parada em Santiago no Chile, chegamos cedo no aeroporto, pouco antes do meio dia, e o check-in ainda não tinha nem começado, ficamos no saguão esperando. O voo estava programado para sair as 15:50 e o check-in abriu as 12:30 mais ou menos, e a Su tadinha, teve que empurrar os dois carrinhos sozinha pra fila do check-in, pois bem nessa hora eu tinha ido ao banheiro… Mas ainda bem que ela não me esperou pra entrar na fila, pois dessa forma fomos um dos primeiros a fazer o check-in e já ficamos liberados. Troquei o resto de pesos que sobrou por dolar americanos mesmo e fomos comer um McDonalds  antes do embarque.

Painel da poltrona

As 15:00 fomos liberados para entrar na área de embarque, e foi tudo muito tranquilo e rápido, essa primeira perna é bem tranquila, cerca de 2 horas de voo entre B.A. e Santiago, e com uma vista linda da cordilheira dos andes. Pra quem não conhece, esses aviões tem paineis individuais nas poltronas, onde você escolhe o que quer ver, entre filmes, tv, músicas, mapas, estado do voo, etc…

No Chile, foi uma parada bem rápida, eles solicitaram que descêssemos da aeronave carregando todas as bagagens de mão, deu tempo de descermos, demos a volta no saguão e pegamos a fila do raio-x, tivemos que passar as nossas bagagens novamente pelo aparelho e já fomos liberados para entrar na aeronave novamente. Eles trocaram a tripulação e colocaram travesseiros e cobertores nas poltronas, a aeronave decolou ao por do sol com destino a Toronto, desse momento em diante já sentimos a diferença, pois todos os anuncios do piloto e tripulação não eram mais em espanhol, e sim em inglês e em francês.

Painel da poltrona II

Foi um voo bem longo, e a Rebecca dormiu quase que a viagem toda, o que foi muito bom, mas ao mesmo tempo, ela ocupou 1/3 da minha poltrona e da Su, o que  nos deixou um pouco desconfortáveis, o que nos permitiu apenas alguns momentos de cochilo.

Chegamos em Toronto 06:15  de Brasilia ou 04:15 horário Chile, mas foi bem confuso entender isso, pois eles falavam um horário nos auto-falantes do avião, meu relógio tava outro, no painel outro, e eu não sabia que horas eram, e estava já preocupado com a nossa carona, pois não sabia que horário chegaríamos em Montréal, mas tínhamos primeiro que passar pela imigração.

Digo que foi mega tranquilo, descemos da aeronave e fomos em fila, maria vai com as outras. Andamos muito por várias esteiras, e chegamos numa área onde pediram os passaportes e nos encaminharam para uma salinha, que tinha uma fila com dois na nossa frente, fomos chamados rapidamente, e pegamos uma atendente bem simpática, que foi nos pedindo informações (em inglês), como valores que estávamos portando, onde ficaríamos, telefones que tínhamos de pessoas no Canadá, assinamos os formulários, e ela nos deu mais um monte de informações, que por conta do nervosismo e outras preocupações eu não consegui absorver muita coisa, só queria sair logo dessa etapa. Depois do welcome to Canadá ainda passamos por mais um guichê onde tinha uns caras enormes super arrogantes, que perguntaram se eu iria trazer mais coisas ou dinheiro, e eu disse que sim, dinheiro da venda do carro mas não sabia quando e que a quantia era inferior aos dez mil dolares, e a anta disse que eu deveria ter declarado, e blá blá blá, só pra dar sermão, pois no formulário diz explicitamente para só declarar valores acima de dez mil. Finalmente pudemos passar para a área onde pegamos as bagagens, e respondendo a minha própria dúvida, sim, os carrinhos de bagagens em Toronto são pagos, mas felizmente, além das moedas, eles aceitam cartão de crédito, é tudo automático, passa o cartão e já pode pegar o carrinho. Pegamos dois e fomos pra área de conexões, que é apenas uma esteira, praticamente sem ninguém olhando, onde você apenas põe suas malas e torce pra que elas entrem no mesmo avião que você. Tomamos um café no Tim Hortons e fomos para o portão, o embarque no pequeno Embraer foi bem tranquilo e ficamos surpresos pois a aeronave oferecia o mesmo conforto do 767.

Foi um voo super rápido, cerca de uma hora e já estávamos pousando em Montréal, fomos rapidamente pegar as bagagens, pois não tínhamos mais que passar por nenhum gichê, afinal, já era um voo doméstico. E por sorte, todas as 5 malas foram aparecendo uma a uma na esteira, ainda bem. Na minha cabeça já estava pensando que ficaríamos mais de uma hora esperando nossa carona, isso devido a confusão de fuso-horários que eu fiz, mas para nossa surpresa, enquanto a Su estava no banheiro, um rapaz simpático se apresentou, era o Alcides que veio nos buscar no aeroporto e já estava nos esperando.

O domingo foi maravilhoso, chegamos, fomos recepcionados, depois ele nos levou de carro pra casa deles, a companheira dele, Cristiana,  tinha preparado um café da manhã, que só posso chamar de espetacular, e depois deste café maravilhoso e muita conversa, fomos levados pro Ikea, onde compramos nossa cama, colchão, travesseiros para nossa primeira noite. Eles nos ajudaram a trazer as malas e as compras até o nosso apê e nos ajudaram a montar a cama… Conversamos mais um pouco, pegamos algumas dicas aqui da região de Rosemont, onde fazer as comprinhas básicas, ganhamos macarrão e molho de tomate para fazermos na nossa primeira noite e nos despedimos… Ficamos admirando nosso apê, depois fizemos o macarrão e fomos dormir, lembro que ainda estava sol, acho que não eram nem 19 horas ainda, e só sei que acordamos na segunda e já estava sol denovo, nem vimos a noite passar, dormimos mais de 12 horas seguidas…

Bom, é isso… Fim do nosso primeiro dia em Montréal, depois conto o resto.

Pra acompanhar, algumas fotinhos, e para mais fotos, acessem: http://picasaweb.google.com/jeison.e.susana

Abraços a todos, amanhã tem mais !!!

Boeing 767 Air Canadá

Chamada no painel

Interior do 767

Interior do 767 II

Vista da Cordilheira dos Andes

Sobrevoando próximo à Montréal

Primeira refeição

Posted in Canadá, Jeison, Pessoal | Etiquetado: , , , , | 14 Comments »