Su & Je

As aventuras de uma família de imigrantes vivendo no Canadá

A decisão

Posted by Jeison em 17 de fevereiro de 2009


Na verdade nem sei como começar este post, já se passam da meia noite e eu ainda estou aqui, com zero de sono, cansado, mas sem conseguir dormir…

Já a algum tempo estamos querendo sair do Brasil, o amamos, somos Brasileiros e sempre seremos, mas estamos muito tristes com a situação atual, a roubalheira pública, assaltos, medo, coação nas ruas, nos sentimos prisioneiros na cidade. É um sonho antigo meu de morar no exterior acho que nunca realizei antes por causa de laços familiares, largar todo mundo, etc… Mas não posso mais adiar isso, no principio pensava em passar somente alguns anos, mas a cada dia que passa, meu desejo é de não voltar mais, somente como turista, mas não procuro ter isso em mente, deixo as portas abertas para o tempo decidir. A Susana já é mais pé no chão, pensa no dia-a-dia, cuida mais do hoje, mas pensando no amanhã, eu já deixo o hoje prá lá, vivo o amanhã, e alguém tem que me fazer descer a Terra novamente e essea alguém tem sido a Susana. Ela também sonha em viver fora, o Canadá não seria a escolha dela, afinal, ela morre de pavor do frio, mas ao mesmo tempo, o Canadá tem se mostrado o país mais receptivo, com melhor apoio e infra-estrutura ao recem chegado e como ela diz que iria comigo até o inferno, pois nos amamos muito, eu achei o inferno um pouco quente demais, e optamos pelo Canadá mesmo. Outros fatores seriam, o custo de vida, viável eu diria, custo do processo bem abaixo de qualquer outro país que esteja aberto a imigração, e a desburocratização e simplificação do processo em si.

A decisão foi tomada à favor de Québec, por exclusão a principio, Canadá via Federal – Muitas restrições pós crise, Inglaterra – Muita exigência a nivel de formação universitária, Austrália – Muito caro, muito longe, muito burocrático. Sobrou o Canadá via Québec, mas tinha o francês… Quem deu o empurrão inicial, foi uma amiga minha, que trabalhou na Cargill comigo, a Vanessa, esposa do Muryllo, que ainda não conheço pessoalmente, mas se Deus quiser, nos conheceremos em Montréal. Eles tem nos dado coragem e dicas para enfrentarmos o francês, qué hoje é o único fator impeditivo para irmos imediatamente. Van e Mu, aqui fica publicamente nosso sincero muito obrigado por todo apoio e coragem que tem nos proporcionado e que tenho certeza, que ainda nos proporcionarão.

Como disse antes, a Su, pé no chão, está dormindo feito um anjo, e eu aéreo, estou aqui, pesquisando, escrevendo como diria na gíria, “pilhado”, ansiedade a mil…

Acabo de assistir toda a série (20 episódios) do J’adopte un pays, eu adoto um país em tradução livre ou Opção: Canadá, como o autor da série definiu.
É um vídeo comentário da Radio Canadá Internacional, dirigido por Hector Vilar, a série é absolutamente sem comentários, excelente é pouco, conta a saga de Patrick e Valéria desde a saída do Brasil, passando pela chegada em Montréal, e toda a vivência de um recém chegado ao Canadá. É sensacional, e quem deseja imigrar, não pode perder.

jadopte-un-pays

O Patrick e a Valéria nem sonham com a nossa existência, mas como ele mesmo falou em um dos episódios, que as pessoas conheciam eles de muito tempo, através de blogs, e diversas outras coisas a internet, mas que ele não conhecia. Agora depois de assistir toda a série e ler boa parte do início do blog (ainda não li tudo pois não deu tempo, é muita coisa…) tenho a impressão que ele já é meu amigo a tempo, é esquisito isso, lembrei de quando era criancinha, do tipo, um menino falando pro outro…  Ela é minha namorada, mas ela ainda não sabe… É mais ou menos isso, mas é muito legal isso… Mas mesmo sem ele saber, queria deixar aqui o nosso parabéns pelo trabalho, ficou demais, e merece todo reconhecimento, e o nosso obrigado também, pois nos deu mais coragem ainda para irmos em frente com nosso processo…

Próximos passos…

Bem, como disse, dia 24/03 começamos no École Québec, uma escola de francês aqui em Sp, mas com professores nativos da província. Duração de 6 meses, total de 150 horas (mínimo) em 6 horas/semana.
Nossa meta é dar entrada no processo em Julho agora, e continuar a estudar francês até a entrevista, que deverá ser entre dezembro/2009 e abril/2010. Tudo correndo certinho, Visto em mãos só em dez/2010.

É isso…

São 01:05, e eu tenho que trabalhar em algumas horas…

Anúncios

Uma resposta to “A decisão”

  1. Oi Jeison!
    Ficamos muito felizes em saber que vc gostou da série e o melhor, ela ajudou de alguma forma.
    Porque foi com o objetivo de ajudar as pessoas que aceitamos esse desafio!
    Muito boa sorte! E só pela determinação de vocês, pode-se ver que o sucesso está garantido.
    Grande abraço!
    Valéria Piceda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: